Obesidade canina: Causa dos problemas ou consequência?

Obesidade canina: Causa dos problemas ou consequência?

A obesidade canina é uma condição que ocorre quando a ingestão calórica excede os gastos, ou seja, quando o animal ingere mais calorias do que gasta durante suas atividades diárias. Muitos animais vêm encaminhados com suspeitas de problemas endócrinos, como o hiperadrenocorticismo ou hipotireoidismo (com razão), mas quando avaliados, não tem esses diagnósticos confirmados.

Na verdade, são tratados com erros no manejo alimentar (com muitos petiscos, ou quantidade exagerada da ração) ou pouco se exercitam. Um cão macho, não castrado, com 10 kg, deve ingerir, aproximadamente, 420 kcal/dia; muitas vezes, o fornecimento de petiscos, como pães e biscoitos, faz com que esse nível seja em muito ultrapassado.

Um outro erro muito comum envolve o manejo de animais castrados. É comprovado que a castração diminui em cerca de 25-30% o nível de hormônios sexuais relacionados à atividade; por isso, é comum acreditar que a castração ocasiona ganho de peso diretamente, quando na verdade, houve diminuição da necessidade de energia.

Assim, nestes casos, o recomendado é diminuir a quantidade ingerida de energia, para que o animal não ganhe peso. A avaliação de um clínico geral e o encaminhamento a um serviço de atendimento especializado são fundamentais para descobrir se a obesidade está causando distúrbios, como alterações em níveis de colesterol e triglicérides, por exemplo, ou se é consequência de alguma endocrinopatia, conforme dito anteriormente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *